10 coisas que aprendi no “primeiro” ano da minha Startup – parte 1

Aviso: este post será mais pessoal, então aviso aos navegantes que no texto poderá ter o uso de 1ª pessoa e um vocabulário mais vulgar, alguns jargões, mas te garanto que vai ser bem interessante.

Hoje quem veio aqui para passar conhecimento para vocês, sou eu (Lucas Camargo), o vulgo CEO da Instabuy, mais conhecido como garoto propaganda da Instabuy, o menino que tinha apenas um sonho a aproximadamente uns 30 meses atrás. (Quem diria né?!)

Eu vim escrever este post, principalmente, pelo fato que hoje faz 365 “fucking” days que aconteceu a primeira venda no Instabuy, foi exatamente há um ano, antes mesmo de divulgarmos nossa ferramenta, um "early adopter" comprou achando a gente no Google, um fato engraçado foi que nesse dia quando aconteceu a compra, era no final de semana, eu fiquei tão feliz que comecei a gritar “É Tetra” na janela do meu prédio e o mais engraçado foi que um vizinho meu também foi para janela e começou a gritar também, vai ver ele estava em um dia bom também, fechou algum contrato, vai saber kkkkkkkkk10 coisas que aprendi no -primeiro- ano da minha Startup

(Sim, essa foi a foto da primeira venda kkk)

Então vamos nessa!

1. Conhecimento nunca é demais

Pode parecer clichê, galera. Mas desde o começo eu recebo uma enxurrada de conceitos novos, aprendizados novos, experiências novas e quando eu acho que estou sabendo um pouquinho mais sobre o assunto, surge um alguém na minha vida e me mostra que eu não sei quase nada.

É estranho parece às vezes que eu to patinando no mesmo lugar, mas com o tempo e amadurecimento eu enxergo o tanto que andei para chegar até aqui, sendo que na verdade esse “aqui” (entre as 5 startups de Brasília), não é nem 10% da onde eu quero chegar

giphy (1)

 

2. Experiência é a mãe do aprendizado

Ao mesmo tempo em que conhecimento é muito importante, a experiência é fundamental no processo de aprendizagem e desenvolvimento da sua startup.

Na minha humilde opinião experiência é até mais importante que conhecimento, pois as pessoas que experimentam aprendem com o melhor professor do mundo, o “ERRO”, e pode ter certeza que depois de errar e perder aquele contrato tão sonhado, ou até mesmo perder meses e anos da sua vida, você no mínimo não vai querer errar mais né?!

Aos poucos fui aprendendo que experiência vale muito na hora de uma venda e pior ainda na hora da negociação de uma venda. Segue eu abaixo tentando acertar kkkkkk giphy (3)

 

3. “Ousadia e alegria” é essencial para o sucesso da sua startup

Esse nome da música do nosso famoso Thiaguinho devia ser o lema, o mantra, o hino de muito startup por aí.

Ousadia na sua startup é tudo, ousadia na hora de procurar clientes, ousadia na hora de apresentar seu produto, ousadia na hora de negociar seus contratos, ousadia com seus sócios, ousadia na sua vida kkkkkkk, já deu de ousadia né.

E claro sendo ousado vem a alegria, você não vai ficar alegre todo o tempo, isso é um fato, mas quando der, tente ser alegre, alegre com seus sócios, alegre com suas metas, alegre mesmo com a sua vida.

giphy (4)

Johnny Grimes neles

4. Confie no seu time, confie em você mesmo.

Demoramos um pouco para aprender a confiar um no outro e olha que um dos sócios já é meu amigo há 15 anos.

Mas este ponto, não é apenas sobre confiança, e sim sobre “aprender a fucking delegar suas tarefas”, esta habilidade é para poucos que empreendem. Normalmente empreendedores gostam de fazer acontecer suas coisas/metas/objetivos, então para eles é impossível delegar, logo se atolam de trabalho desnecessário e acabam perdendo o seu potencial naquela atividade que fazem com perfeição.

Por exemplo, eu sou um exímio ser humano quando o assunto é “relacionamento com pessoas”, eu vou lá e faço acontecer, do meu jeito sabe?! (não é para tanto kkkk), em contrapartida no Instabuy atualmente estou responsável pela parte de Marketing e a administrava também, às vezes tenho que fazer artes para posts, pois também cuido das mídias sociais, quando tínhamos o estagiário que nos ajudava nessa parte, às vezes deixava de passar para ele pois queria a arte “do meu jeito” sendo que poderia estar usando aquele tempo fazendo arte, nas coisas que realmente eu sou bom (relacionamento com pessoas).

giphy (5)

 

 

5. Ninguém começa a empreender por dinheiro

Isso é uma verdade, ninguém começa a empreender apenas por dinheiro, pessoas empreendem por sonho, empreendem por paixão ainda mais em uma startup no Brasil, quando eu via a galera falando isso, pensava na minha cabeça “isso é só mais um papo besta de auto-ajuda para incentivar a galera”.

Só que não né filhão! A experiência está aí para ensinar isso, pessoas que empreendem precisam ser extremamente apaixonadas e ambiciosas pelo que fazem/pelo seu produto, senão não agüentam, pedem para sair, ainda mais nossa geração “leite com pêra”. Aos poucos o empreendedorismo vai me mostrando que o sucesso se encontra em achar o “processo” perfeito, aquele processo que vou poder repetir e vender para 1.000.000,00 de clientes, ou achar alguns clientes que vão pagar 1.000.000,00.

Toda beleza do empreendedorismo se encontra no processo, na jornada que você vai percorrendo até chegar, ou na maioria das vezes não chegar na linha de chegada.

Por que muitos empreendedores desistem logo no começo? Acredito que um grande motivo é que aquela pessoa não era apaixonada o suficiente por aquilo que ela estava fazendo/construindo/criando.

 

source

Então galera, eu acabo por aqui a parte 1, depois trago os outros 5 pontos restantes.

Eu queria poder agradecer pessoalmente cada pessoa que de certo forma ajudou ou vem ajudando o Instabuy nessa jornada.

Muito obrigado!! (Sintam-se abraçados kkk)

Atenciosamente,

Lucas Camargo

CEO of Instabuy

 

Comentários